Reinventando Contos de Fada: Chapeuzinho Vermelho

2 Comentarios
Oi gente, desculpe o sumiço, mas sabe como é, comecei a trabalhar e tá mó correria kk' Mas, aqui um texto pra vocês de uma pequena série que eu fiz pro meu blog... Em breve, talvez na próxima semana, eu já tenha uma série exclusiva para o site então, aguardem! Enquanto isso, conheçam a minha Chapeuzinho Vermelho! 

(Este texto também pode ser encontrado no Mais um Psicopata, assim como outros contos de fadas). 



Em uma vila distante, havia um casal que estava muito feliz, pois em breve teriam um bebê. Os vizinhos gostavam muito do casal e sempre davam roupinhas de bebês e como não se sabia se era menino ou meninas, roupas rosa e azul iam se acumulando. Quando o bebê nasceu, viu-se que era uma linda menina, de olhos azuis. Conforme ela foi crescendo, seu pai resolveu lhe dar seu primeiro bichinho de estimação, um coelhinho branco.

Como ela gostava demais do bichinho, a mãe fez uma capa com capuz branco para ela que usava toda vez que ia brincar com o coelho. Um dia o coelhinho correu para a estrada e a menina foi atrás, e presenciou o momento que o pobre coelhinho foi atropelado por uma carroça. A mãe, dando falta da menina, foi atrás e viu sua filha sentada no chão ao lado do coelhinho morto. O homem da carroça se explicou disse que não tinha culpa e prometeu ajudar de alguma forma. A mãe conversou com o rapaz e ele foi embora. A menina continuava no chão observando seu coelhinho e suas vísceras que haviam saído pra fora. Apesar de ser o seu bichinho amado, ela olhava com curiosidade para o animal e a mãe viu que parte da sua capa ficou manchada com sangue.



No outro dia, o pai trouxe um novo coelhinho branco, mas a menina agora não dava mais tanta atenção. Conforme foi crescendo, tomou gosto pelo bicho novamente, mas sempre havia alguns momentos quem que ela ficava parada apenas observando e pensando. Não usava mais a capa branca. Pediu para que a mãe fizesse um vermelho. A mãe fez, mas tinha receio sobre o que isso poderia significar.

Um dia, a menina que agora tinha sido apelidada de “Chapeuzinho Vermelho” estava nos fundos de casa com o coelho e alguns materiais que ela havia pegado na cozinha. Segurou o coelho com uma mão e pegou uma faca. Passou a faca pelo pequeno pescoço do coelhinho e ficou observando o sangue sair e se espalhar pela grama. De repente Chapeuzinho ouviu sua mãe chamando e foi de encontro a ela rapidamente antes que ela fosse aos fundos. Chegando à cozinha, sua mãe lhe disse:

- Filhinha, sua avó está muito doente, leve estes doces e esta sopa para ela. Cuidado no caminho, não fale com estranhos!

- Tudo bem mamãe.

E lá se foi Chapeuzinho, toda feliz e sorridente para a casa de sua avó.

No caminho se deparou com uma bifurcação, e pensou sobre qual caminho devia tomar. Lembrou sobre o que os vizinhos contavam sobre os perigos da floresta, do lobo… Resolveu tomar o caminho da esquerda que era mais curto.

No meio do caminho, encontrou um lenhador que alertou sobre o lobo que estava rondando a região. A menina gentilmente agradeceu, e seguiu. O lobo estava acompanhando a menina já fazia um tempo, apenas esperando o momento certo para atacar. Chegando a casa da avó, a menina bateu na porta, mas não obteve resposta. Bateu novamente e resolveu entrar. Quando entrou, viu que sua avó estava caída no chão do quarto, desacordada. Tentou acordá-la, mas nada adiantou. A menina saiu da casa transtornada e encontrou um homem com uma carroça. Desesperada, pediu ajuda ao homem, e pediu que a levasse à senhora para a sua casa, pois sua mãe saberia o que fazer. O homem pegou a avó, colocou na carroça e prometeu leva-la a casa da menina segundo suas orientações. A menina ficou na casa da avó esperando, pois não é bom deixar a casa sozinha.

Enquanto esperava, a menina foi surpreendida pelo lobo que invadiu a casa e estava pronto para ataca-la. Por um momento ela teve medo, então começou a olhar fixamente em seus olhos e correu para a cozinha. O lobo correu atrás dela e viu ela acuada em um canto, então, sem pensar duas vezes, correu e pulou em cima dela. O que o lobo não viu, foi que Chapeuzinho havia pegado uma faca e quando ele pulou, ela a ergueu se defendendo. O lobo, com um corte profundo na barriga tentou atacar novamente, mas a menina foi mais rápida e passou a faca em seu pescoço. Quando o lobo caiu morto, a cozinha já estava cheia de sangue. O lenhador que estava passando por ali ouviu o barulho e resolveu entrar. Quando viu todo o sangue e percebeu o que a menina tinha feito, deixou o machado de lado, pegou pela mão, e disse:

- Olha menina. Você sabe que o que você fez foi errado, mas sei que precisava se defender. Eu vi quando aquele homem levou a sua avó, e não é bom ficar sozinha aqui. Eu posso contar pra todo mundo o que você fez, mas se você fizer uma coisa pra mim, eu juro que não conto pra ninguém. Vamos ali ao quarto?

A menina percebeu que algo ruim iria acontecer, então com uma voz doce disse que sim, mas primeiro ia guardar a faca na cozinha. Ele foi para o quarto para espera-la. Ela escondeu a faca na roupa e pegou o machado do lenhador. Quando chegou ao quarto, ele estava sem camisa e estava começando a tirar as calças, como estava de costas para a porta, a menina pegou o machado e acertou suas costas. Como ela não tinha muita força, o corte foi fraco, mais como um arranhão. Ele se virou cheio de ódio, então ela pegou a faca e começou a golpeá-lo, e empurrá-lo no chão. Com ele caído, ela subiu sobre ele e fincou a faca em seu pescoço. Muito assustada, Chapeuzinho correu para a floresta.

Sua mãe chegou à casa da avó com seu pai, para buscar a menina e dizer-lhe que a avó estava bem e ia ficar um tempo na casa deles. Ao entrarem viram o sangue do lenhador e o sangue do lobo na cozinha. O pai ficou desesperado chamando a menina e a mãe começou a chorar e a contar algo que havia visto de manhã antes da menina sair. O pai confuso preferiu não acreditar que ela poderia ter feito aquilo e junto com a mãe foram procura-la.

A menina nunca foi encontrada, mas dizem que ela se transformou em um monstro que corta pescoço dos animais na floresta. Se isso é verdade, ninguém sabe. Mas criadores de ovelhas contam que alguns dos seus animais, aparecem mortos nos dias com neve, com um corte profundo em seus pescoços.



#Compartilhar: Facebook Twitter Google+ Linkedin Technorati Digg

2 comentários:

  1. Tem um mangá chamado Tokyo Red Hood. É uma adaptação de Chapeuzinho Vermelho. É bem sanguinolento, como sua versão.
    Chapeuzinho serial killer de bichinhos.. Não é lá muito fofinho, mas é beeeem interessante.. :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valew ^^ Não li esse mangá mas vou procurar depois

      Excluir

Não serão aceitos comentários com conteúdo: racista, homofóbico, preconceituoso, maldoso, ou de qualquer índole duvidosa que possam a infringir ou ferir a moral de qualquer um.

Se por acaso o comentário é sobre alguma duvida com relação a postagem, tenha CERTEZA de que está duvida não esteja transcrita na postagem. Ficaremos contentes em tentar responde-lá.

Todas as afirmações contidas nos comentários são de responsabilidade do comentador, o blog Eutanásia Mental, não tem obrigação nenhuma sobre qualquer ato ofensivo nos comentários.

Tudo bem errar uma palavra ou outra, esquecer de algum acento também esta beleza. Agora se escrever tudo errado e não ser possível entender um nada, o comentário não será liberado.

Obrigado pela atenção. Comente e faça um blogueiro feliz :-)